Flashback - A 1ª Ecografia

Geralmente quando alguém diz que vai ser apenas acompanhada pelo SNS (seja no centro de saúde, seja maternidade ou ambos), uma das coisas que nos dizem logo é: “oh, mas assim só fazes 3 ecografias!!!”.
Pois, e há países em que se fazem menos. Racionalmente, “só” fazer 3 ecografias é bom sinal, significa que a gravidez está a correr bem e que não precisamos de fazer mais para fazer um controlo mais apertado. Mas para nós, em que a ecografia é o único momento em que podemos “cuscar” o bebé dentro da barriga e, principalmente no início, a única maneira que temos de confirmar que realmente está tudo bem (pois ainda não o sentimos e muitas vezes a barriga ainda não começou a crescer), fazer mais ecografias significa descanso. Por isso muitos casais preferem ser seguidos pelo privado onde fazem mais ecografias, muitas só para dar uma espreitadela a ver se continua tudo ok.
Ora a primeira ecografia principal, a ecografia do 1º trimestre, só deve ser feita por volta da 13ª semana, ou seja, no final do 3 mês de gravidez. Imaginam o que é andar 3 meses sem saber se está tudo bem ou não (vá, dois meses, que o primeiro mês é o mês em que não sabemos que estamos grávidas)? É um stress pegado. Então muitas pessoas optam por fazer uma ecografia antes, para confirmar que é uma gravidez evolutiva, a ver se o saco está bem implantado, se há embrião, esse tipo de coisas.
Mas esta ecografia também pode ser fonte de stress. Imaginam ir fazer a eco, e ainda não se vê embrião, ou o coração ainda não bate. E agora? Será não evolutiva ou simplesmente ainda era muito cedo para fazer a ecografia? A única maneira de saber é esperar uns dias e repetir. Entre o não saber nada e ficar nesta angústia da possibilidade de algo estar mal, venha o diabo e escolha.
Quando eu decidi ser só seguida no centro de saúde (pelo menos no início), pus logo na cabeça que iria ter de esperar pelas 13 semanas para saber se estava realmente tudo bem. Afinal de contas, não iria ter “direito” a outra ecografia. Pois quando chego ao centro de saúde e me dizem que para me inscrever nas consultas maternas precisava de prova (beta e ecografia) e que o primeiro passo era ir a uma consulta normal para o médico me passar esses exames, senti que ganhei um presente: afinal iria saber de algo mais cedo do que estava a imaginar. Yuppi. (E sim, eu sei que nem em todo o lado é assim, no meu por acaso é).
Tive consulta numa sexta-feira, 12 de Maio, e já não me lembro bem, mas devo ter começado a tentar marcar a eco na semana seguinte. Tinha ideia de fazer numa clínica aqui ao pé de casa, onde sabia que fazia ecografias endovaginais (sim, com tão poucas semanas ainda é por via endovaginal, não são aquelas que estamos habituados a ver nos filmes com a sonda na barriga) e tinha confirmado com o médico que podia ser nessa. Ligo, e confirmam que sim, que faziam pelo sistema nacional de saúde, e que tinha vaga para….. 13 de Julho! Pois, uma ecografia para confirmar uma gravidez, para que eu pudesse ser seguida no centro de saúde, não poderia ser para daí a 2 meses. Aliás, nessa altura, pelas minhas contas, já eu tinha de ter feito a ecografia do 1º trimestre, quando mais esta.
E agora? Voltei á estaca zero. Onde fazer a ecografia? Toca de pesquisar na net e pedir ajuda aos fóruns, e fiquei com mais 4 sítios para onde ligar. Em 3 dos sítios não faziam (num, não faziam de todo, nos outros dois não faziam via endovaginal). O último, era uma clínica muito conhecida que, pensei eu, não deveria ter vaga para tão perto.
Enganei-me redondamente. Acho que se eu precisasse até arranjavam vaga para mais cedo, mas eu quis esperar e fazer na semana das 7/8 semanas, segundo a data da menstruação. Assim havia menos probabilidades de “ainda ser cedo demais”.
O meu namorado nunca foi a nenhuma consulta comigo, mas ficou desde logo combinado que iria às ecografias (o que, diga-se de passagem, é a parte mais engraçada). Portanto nesse dia, lá vamos os dois. O nervosismo mais que muito, cada qual com os seus receios (eu, a juntar os receios do “será que está tudo bem?” ainda tinha o receio do estar a ir a um sítio desconhecido, fazer algo que nunca tinha feito). Tinha-me informado previamente se o pai podia assistir à ecografia ou não, e toda a gente me dizia que o pai ia (mas tinham feito esta eco nos consultórios dos GO, portanto não era bem a mesma coisa).
Pois bem, quando me chamam e nós nos levantamos os dois, avisam que só eu é que entrava. Nem queiram saber a desilusão. E fiquei triste por ele, que estava mesmo todo ansioso para ver a amostra de bebé que estava ali a crescer. Mas aí fez-se luz, por isso é que enquanto estávamos à espera tínhamos visto uma rapariga sair de lá toda contente, a contar tudo sobre a ecografia ao companheiro, que tinha ficado à espera lá fora. Respirei fundo e entrei para um cubículo onde estive a mudar a roupa para vestir uma bata, e fiquei lá à espera que me chamassem. Como ainda demorou, ia trocando sms com o namorado.
Finalmente entrei para a sala e o médico fez a pergunta da praxe, se eu achava que estava grávida (sim, porque esta ecografia serve para muita coisa, não é só para detectar uma gravidez, e ele precisava de saber o tipo de cuidado que tinha de ter). Quando eu disse que sim, que estava grávida, a assistente disse “Ah! Então era por isso que o pai também queria entrar!” e o médico foi logo “Então chame lá o pai por favor”. Que alegria que foi. Ele pode entrar e assistir, tal como deve ser. Mal o médico enfiou a sonda, viu-se logo aquela mancha característica do saco (mesmo eu que não percebia nada disso, percebi logo que era aquilo que era suposto vermos), o médico lá esteve a ver o embrião e conseguimos ouvir logo o batimento cardíaco. Tirou as medidas e confirmou que estava de menos uma semana do que o indicado pela data da última menstruação, o que fazia sentido, pois eu já sabia que ovulava uma semana depois do “normal”. Por isso, ainda bem que esperei aquele tempo até fazer a ecografia, senão podia realmente ter sido “cedo demais”.
Saímos de lá de coração cheio e com menos um medo pelo caminho. Agora era esperar mais 6 semanas pela próxima ecografia.
Ah, mas se pensam que a minha saga com as datas das consultas já tinha acabado, enganam-se. Mas isso fica para outro dia.
See yah.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Rant: “Faz um clearblue digital!”

Uma Nova Aventura

Flashback: Como nos decidimos a ter um filho