2 meses de ser Mãe

Pois é, andei desaparecida. Ao que parece, ter um recém nascido suga-nos o tempo todo. E parece que mesmo quando crescem, não nos sobra muito tempo à mesma, e quando sobra, o blog não é prioridade...
 
Nestes dois meses, houve umas coisitas que aprendi, sobre a maternidade e sobre mim, que passo a contar:
 
- Toda a gente me dizia que quando viesse o bebé, vinha o instinto materno e me iria rir de todas as duvidas e medos que tinha antes. Bem, não é bem assim. Sim, há um instinto que nos diz como devemos fazer as coisas (também chamada de senso-comum), mas a informação é muito útil. Ou seja, no meio é que está a virtude, devemos estar informados, mas não seguir religiosamente os livros e os conselhos de outros, nós é que nos conhecemos e começamos a conhecer os nossos bebés, e temos de ver o que se aplica ou não à nossa situação.
 
- Dito isto, no hospital estamos por nossa conta (pelo menos no público). Por mais que o marido, a mãe ou a irmã nos diga que nos vai ajudar, ás vezes tal pode não ser possível. No meu caso após o parto estive umas 14 horas sozinha até que o pai pudesse visitar o bebé. 14 horas em que eu tive de dar de mamar, adormecer, mudar fraldas, dar banho e vestir o bebé. Ok, não se assustem, quando eu digo "sozinha" é sem a família, as enfermeiras estiveram sempre lá para ajudar. E descobri que eu até conseguia dar conta do recado! :O
 
- Com um bebé vamos conhecer os nossos limites. Na minha opinião, há duas coisas a tomar conta de bebés que levam as pessoas à beira da loucura: o choro deles e a falta de sono. E nós vamos perceber que somos mais sensíveis a um do que a outro. No meu caso, a privação de sono é a pior parte, o choro aguento melhor. Ainda bem que me calhou um bebé que até dormia qualquer coisa. Infelizmente é um bebé muito chorão, com um choro muito aflitivo, mas como disse, não me afecta tanto como a outras pessoas.
 
- O telemóvel (smartphone) é o nosso melhor amigo. Ao amamentar, passo muitas horas com uma mão ocupada. Com a outra lá vou vendo os emails, o facebook, e alguns sites de entretenimento para ir passando o tempo. Eu é que não gosto de escrever lá, por isso nunca mais tinha actualizado o blog.
 
- As crianças precisam de muita atenção. Fora toda aquela parte da amamentação, um recém nascido muitas vezes vai precisar de dormir muito no nosso colo. E pelo que estou a perceber, agora com dois meses, que já passam períodos de tempo a brincar na cama ou na espreguiçadeira, tem o inconveniente de querer atenção, quer plateia para vermos as gracinhas. Por isso, tempo para mim é uma utopia...
 
Os miúdos choram por tudo e por nada. Por aqui chora por fome, quando a fralda está muito cheia de chichi (mas cocó não se incomoda muito), quando tem sono, e agora a novidade, quando se aborrece de estar deitado e quer ver o mundo. Tenho sorte, safei-me das cólicas.
 
E por enquanto é tudo o que me lembro. Tenho um rapaz no colo que se farta de bocejar mas não quer ir dormir. Hora de ir à luta.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Rant: “Faz um clearblue digital!”

Flashback: Como nos decidimos a ter um filho

Uma Nova Aventura